Notícias

Entenda os riscos da automedicação e do autodiagnóstico para a sua saúde

A grande maioria de nós já tomou, pelo menos uma vez, remédios sem prescrição médica. Porém, buscar alívio imediato — de um jeito aparentemente prático — pode trazer sérias consequências. É preciso se atentar aos riscos da automedicação e do autodiagnóstico.

Descubra, neste artigo, os males que essas duas práticas podem causar à sua saúde e por que você deve evitá-las.

O crescimento de duas práticas perigosas

A Internet é uma maravilha. Nos mecanismos de busca, é possível encontrar respostas para praticamente tudo. Faz sentido, então, usar essas ferramentas para saber as possíveis causas daquela dorzinha de cabeça chata e — por que não? — o que tomar para fazê-la passar.

Contudo, a questão não é tão simples. Uma pesquisa do Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade(ICTQ) aponta que 70% dos brasileiros se automedicam e 40% praticam o autodiagnóstico usando meios digitais.

Essa aparente autonomia traz sérios riscos. Tendenciosas, essas buscas levam em conta apenas os sintomas que você percebe e ignora hábitos e comportamentos diários, que apontariam para diferentes possibilidades de diagnóstico.

Por exemplo: uma paciente pode experimentar sintomas gerais que, em um site de buscas, apontem para uma possível gravidez. Isso gera uma expectativa que pode não se concretizar, pois os mesmos sintomas podem sugerir mais de uma condição. A própria expectativa pode contribuir para o surgimento de outros sintomas, que serão interpretados como parte do quadro que a pessoa acredita ser o seu. Consultar um médico é sempre mais seguro e certeiro.

Os riscos da automedicação e do autodiagnóstico

Se você já procura uma pílula ou xarope assim que sente algum desconforto, cuidado. Quando usados de forma contínua, remédios podem ter seus efeitos anulados e até causar outros problemas.

O uso de anti-inflamatórios para dores na garganta, por exemplo, pode irritar a mucosa do intestino, causando náuseas, úlceras, vômito e diarreia.

Seguem alguns dos outros perigos da automedicação e do autodiagnóstico:

Mascarar sintomas

Um dos grandes riscos da automedicação é esconder sintomas de uma condição mais séria. Geralmente, uma dor contínua e sem causa aparente indica alguma questão a ser estudada.

Mas, se você apenas trata o problema de forma paliativa — tira a dor momentaneamente —, pode perder tempo precioso e deixar de fazer um diagnóstico correto e inicial de uma doença.

Atrasar o tratamento efetivo

Como sabemos, quanto mais cedo descobrimos e tratamos um problema, melhores os prognósticos. A ação oposta, portanto, costuma causar os efeitos opostos. Em casos específicos, isso pode ser fatal.

Cuidado para não perder tempo. Sua saúde e sua vida devem estar primeiro lugar!

Causar intoxicação

Todos os remédios (incluindo aqueles de plantas) têm efeitos colaterais e, quando ingeridos em excesso, podem intoxicar o paciente. Há aqueles que podem até mesmo causar dependência.

Portanto, atenção à bula e às suas condições. A melhor coisa é estar atento aos sinais do seu corpo, cuidar da alimentação e praticar atividades físicas. Na dúvida, procure sempre um médico.

FONTE: DEDIQ

Em 12 de Março de 2018 por admin